quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Shows internacionais e seus ingressos salgados


O segundo semestre de 2010 traz tantos shows internacionais que o jeito é se sentar e respirar fundo, antes de tomar qualquer decisão.

Há diversidade no estilo, pluralidade nos eventos, mas o que não muda é o preço salgado dos ingressos. Por mais leiga que eu seja no que se refere às finanças de eventos como estes, posso garantir que é fato que o mesmo poderia ser arrecadado com ingressos mais em conta, pois a quantidade de ingressos vendidos aumentaria. Isso sem contar o benefício cultural, já que outras pessoas, de poder aquisitivo no qual antes não cabia tal despesa, poderiam comparecer ao evento.

Gostaria de compreender a insistência dos produtores, ou de seja lá o responsável por taxar shows internacionais no Brasil, em manter os valores tão altos, principalmente porque há patrocinadores apoiando as apresentações.

Minha intenção, de forma alguma, é colocar preço no trabalho de outros, ou dizer que a produção desses shows no Brasil é fácil e barata. Mas não posso fazer de conta que não afeta ao público em geral a eterna briga entre ingressos meia-entrada e inteira. Quem sabe, quando finalmente alguém pensar sem que a prioridade seja o próprio bolso, chegue-se à conclusão de que um público maior pode ser culturalmente mais enriquecedor, além de trazer mais benefícios aos produtores, aos patrocinadores e aos artistas, além do próprio público

0 comentários: