quinta-feira, 25 de março de 2010

A melodia de Luiz

Luiz Melodia é um artista muito bacana. O vídeo abaixo se refere a sua participação no programa Espelho, apresentado por Lázaro Ramos no Canal Brasil. Para conferir o site do programa: http://canalbrasil.globo.com/espelho



quarta-feira, 24 de março de 2010

Lucina: O som da palavra

Clique na imagem acima e confira as informações sobre o workshop

Lucina, compositora de tantos sucessos de nossa MPB nas vozes de intérpretes como Ney Matogrosso, Zélia Duncan, Nana Caymmi e muitos outros, nos abre sua experiência e oferece o workshop O SOM DA PALAVRA.

LUCINA é compositora, cantora e instrumentista. Faz uma MPB moderna, sofisticada na harmonização e na interpretação.

Tornou-se conhecida através de suas canções, sucessos nas vozes de Ney Matogrosso (Ney registrou 11 canções de sua autoria), Zélia Duncan, Nana Caymmi, Joyce, Banda Cheiro de Amor, Tetê Espindola, Daúde, Alzira E., Rolando Boldrin, Vânia Bastos, Fred Martins, Olívia Byington, Verônica Sabino, As Frenéticas, Luhli, entre outros, além das gravações realizadas pela dupla Luli e Lucina da qual fez parte por 25 anos, numa carreira de prestígio internacional.

Na última edição do Premio Visa de Compositores, foi às finais destacando-se entre 4.000 inscritos.

Em dupla registrou 7 CDs e em sua carreira solo tem 5 CDs e um DVD gravado pelo Canal Brasil de televisão (GLOBOSAT) com as participações de Zélia Duncan, Joyce e Ney Matogrosso.Atualmente lança o CD +DO QUE PARECE onde canta sua obra inédita em parceria com Zélia Duncan.

Pesquisadora de ritmos e de fundamentos do som, há mais de 30 anos Lucina desenvolve um trabalho de oficinas de criatividade e composição musical e preparação vocal de atores e cantores.

Na arte-educação atua junto a comunidades e multiplicadores, conscientizando e sedimentando conceitos de cidadania e meio ambiente através da música e do teatro.

Faz direção musical e cênica para outros profissionais, grupos vocais e corais, cria trilhas originais para o teatro e dança , além de jingles para campanhas publicitárias.

http://www.myspace.com/lucinamyspaceoficial

sexta-feira, 19 de março de 2010

A banda irlandesa Stand lança novo disco

Stand - da direita para a esquerda:
Carl Dowling, Alan Doyle, David Walsh e Neil Eurelle.
Foto © Reprodução


Foi lançado, no início de março, o novo disco da banda dos quatro moços irlandeses. A Stand mostrou a garra necessária para se fazer boa música e conquistar um espaço que lhes permite mostrar a que vieram.

Há vinte anos na estrada, a Stand é uma banda de amigos, daquelas que muitos formam, na adolescência, ao sentirem um desejo intenso de subirem no palco, e que abandonam assim que escolhem outras profissões. Alan Doyle (voz/guitarra), Carl Dowling (bateria/percussão), David Walsh (guitarra/teclados) e Neil Eurelle (voz/baixo) não escolheram outras profissões. Eles continuam no palco, no estúdio, na lida, na vida. A música ainda é a companheira de viagem deles.

É fato que há uma grande demanda de bandas nesse mundo, para todos os gostos. Muitas vão sobreviver, porque sabem lidar com a indústria do entretenimento, enquanto outras durarão alguns meses, porque não têm material que sustente sua existência. Certamente, a maioria jamais chegará a gravar um disco e abandonará o cenário musical, trilhando outro caminho.

É preciso mais do que talento para manter uma carreira na música, e me refiro a todos os graus de reconhecimento. É preciso a capacidade de superar o tempo de espera até o lançamento de um disco, dos shows em lugares mais legais. E um bom material, a consciência de seus integrantes quanto a qualidade instrumental e poética das suas canções.

A maturidade não precisa ser chata, bege, e creio que a Stand conseguiu isso. Com o seu quinto disco, eles mostram uma obra muito bem talhada, instrumentalmente rica e poeticamente, também.

Escrevo este texto escutando algumas canções do 100,000 Ways to Harvest Hope. Pelo título eu me encantei de cara. Sim, sou das que encantam por títulos de discos, músicas, poemas, filmes... Mas que também confere o conteúdo. E para mim a Stand fez um belíssimo trabalho neste disco.



As dez canções que compõe o disco 100,000 Ways to Harvest Hope são como um mosaico de vocais muito bem colocados e melodias muito interessantes. Também gosto dos violões, da forma como o ritmo é integrado à canção.

A verdade é que me tornei fã dos moços e tudo o que eu disser pode parecer apenas reflexo desse meu afeto. Então, seguem abaixo alguns vídeos que eles fizeram com canções do disco e links para que vocês possam conferir a música dos lads do Stand.






Site: www.standland.com
Myspace: www.myspace.com/standland
Reverb Nation: www.reverbnation.com/stand
Facebook: www.facebook.com/stand4
Twitter: www.twitter.com/stand4

Leia artigo sobre a Stand publicado no Crônica do Dia: www.crondia.blogspot.com/2009/04/stand-os-mocos-da-musica-carla-dias.html

quinta-feira, 4 de março de 2010

O Haiti e a música

quarta-feira, 3 de março de 2010

O Encanto da Lua Nova


Em O Encanto da Lua Nova, Alonso Alvarez explora o imaginário adolescente sem condená-lo a um severo olhar adulto, mostrando que às vezes o melhor é mesmo se deixar levar pelo desconhecido e, no caminho, fantasiá-lo sem limites.

A história gira em torno de um grupo de amigos que mora em um edifício que não tem o 11º andar. A partir daí, cria-se um cenário onde a curiosidade, agradavelmente delineada pelo bom humor juvenil, torna-se fundamental ferramenta para a incursão deles no fantástico universo que habita esse lugar-nenhum.

Do apelido dos meninos à inclusão de diálogos do cachorro da turma, passando pelas picardias e paixões adolescentes, Alonso nos oferece uma prosa agradável, que nos leva a sorrir com frequência, desenferrujando a nossa capacidade de gracejar com a realidade. E o autor não lapida a linguagem, mantendo-a crua, coloquial e poderosa, o que nos aproxima dos personagens.

Há também a graciosidade com a qual Alonso coloca em sintonia toda aquela farra boa de quando somos adolescentes com a curiosidade que também leva ao conhecimento. O Encanto da Lua Nova coloca em pauta trechos de obras de grandes escritores, às vezes mencionados pelos próprios adolescentes. Ele criou um ambiente no qual a literatura tem um importante papel, de onde pipocam emoções desconhecidas, reconhecimento e muito mais vontade de manter a imaginação movimento.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Um pedacinho do livro em vídeo...