terça-feira, 13 de abril de 2010

A minha trilha sonora

A música é esse lugar onde cabem todos, mesmo que cada um de nós escolha de qual artista gostar e desgostar. Ainda assim, na diferença, é música.

Quando ouvia as canções de Adoniran Barbosa e Cartola saindo do radinho de pilha da minha avó, não imaginava a grandeza que a música representava. Naquela época, essas canções apenas serviam de trilha sonora para a hora do café da tarde, quando logo depois minha avó começava a preparar o jantar.

Sem contar a espera, até que meu avô cantarolasse: Acorda Maria Bonita / Levanta e vai fazer o café / Que o dia já vem raiando / E a polícia já está de pé (Acorda Maria Bonita de Volta Seca).

Minha mãe também tinha sua canção-de-bolso, que cantava para mim e minhas irmãs e irmão, frequentemente. Uma canção triste que só, mas linda também: Derrubei pau a machado/E o mato fino rocei/Depois que o mato secou/Eu botei fogo e queimei (A Rosa e a Formiga de Heitor de Barros).

A música continua sendo trilha sonora, trinta anos depois. Mas a diferença está no fato de que hoje ela se embrenhou na minha vida, como na de maioria de nós. É raro quem não tenha sua seleção musical à disposição, para quando a música for a melhor opção para espantar fantasmas e melhorar o espírito.

Da marchinha ao samba-canção, passando pelo rock’n roll, o jazz, a bossa nova. Há tantas linguagens na música que, certamente, ela merece a sua definição mais popular: linguagem universal.

Na marchinha das brincadeiras, o samba-canção do desalento, o rock’n roll da rebeldia, a bossa nova do banzo. A música das línguas afiadas, das guitarras distorcidas, dos tambores africanos, dos pianos cuidadosos em dosar a emoção que oferece. A música alimenta a alma da gente com esses fragmentos de sons, às vezes misturados à poesia das ideias.

Qual é a sua trilha sonora de hoje?


Kléber Albuquerque - Só o amor constrói * A balada


Show de Kléber Albuquerque com a Miniorkestra de Polkapunk e participações especiais de Alessandra Brantes, André Bedurê e Elaine Guimarães, André Sant'Anna & Sua Trupe, Danilo Moraes, Grupo Poema Novo, Mário Lopez & Izabel Holtz e discotecagem de Ricardo Prado.

Sábado, 24 de abril de 2010
A partir das 20h

Espaço Rio Verde
Rua Belmiro Braga, 119
Vila Madalena - SP

Informações:
11.3459 5321 ou www.centroculturalrioverde.com.br

www.kleberalbuquerque.com.br

O BRASIL É AQUI


O Brasil é Aqui, uma série de masterclasses que serão apresentadas às segundas-feiras de abril, a partir das 20h, aqui no IBVF. Nessa primeira edição, receberemos o percussionista Julio César e os bateristas Ramon Montagner, Edu Ribeiro e Christiano Rocha.

www.verafigueiredo.com.br

quinta-feira, 8 de abril de 2010

QUERIDO MUNDO em Santo André


No próximo final de semana, o Teatro Municipal de Santo André receberá um espetáculo teatral que indico com o maior carinho.

Escrito por Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa, dirigido por Rubens Ewald Filho, QUERIDO MUNDO aborda com bom humor situações delicadas, pelas quais passam os personagens Elza e Osvaldo, interpretados com maestria por Maximiliana Reis e Jarbas Homem de Mello.

Assisti QUERIDO MUNDO quatro vezes e dia desses repetirei a dose. Espero que vocês possam rir e se emocionar tanto quanto me emocionei em todas as vezes que assisti ao espetáculo.

Quem quiser saber um pouco mais sobre o QUERIDO MUNDO pode acessar o site www.queridomundo.com.br e também ler um artigo que publiquei neste blog escrevi no http://talhe.blogspot.com/2009/03/querido-mundo.html.

QUERIDO MUNDO
Sábado - 10/04, às 21h
Domingo – 11/04, às 19h

Teatro Municipal de Santo André
Praça IV Centenário, s/nº
Santo André - São Paulo

Informações: 11.4433 0786 / 4433 0789 / 4427 4360 / 4427 7986