terça-feira, 22 de junho de 2010

Lembranças


Assisti somente ao primeiro filme da saga vampiresca, e isso não me tornou um dos milhares de fãs do ator Robert Pattinson. O que me levou a assistir ao Lembranças (Remember me/2010) foi uma matéria sobre o filme, que assisti na televisão, e as presenças de Chris Cooper e Lena Olin, dos quais aprecio muito o trabalho.

A trama gira em torno de Tyler Roth (Pattinson), um jovem melancólico, que ainda não conseguiu se recuperar do suicídio do irmão. O relacionamento com o pai Charles Roth (Pierce Brosnan), um importante empresário, é a zona de conflitos. A distância entre eles se tornou ainda maior, depois da morte de Michael.

Ally (Emily de Ravin) é uma jovem que assistiu ao assassinato da mãe, em uma estação de metrô, ainda menina. Seu pai, Neil Craig (Chris Cooper), é um policial atormentado com a morte da esposa. Quando Ally e Tim se encontram, ambos começam a perceber que a vida pode ser menos dolorida do que vem sendo.

Lembranças é um filme denso, mas delicado em muitos aspectos. As emoções desencontradas que permeiam o relacionamento entre Ally e Tyler, assim como a carga emocional que Pattinson e Ravin emprestam aos seus personagens, fazem com que a simplicidade da leveza que alcançam, em alguns momentos da trama, mostre a importância de se desapegar da sensação de solidão completa.

É uma história difícil contada com a sutileza necessária para que nós, os espectadores, possamos compreender a sua beleza. E sim... Robert Pattinson está muito bem no filme. É um bom ator que, espero, escolha outros papeis como o de Tyler Roth para viver.


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Alonso Alvarez lança A Paixão de A e Z

No próximo sábado, dia 19 de junho, Alonso Alvarez lançará o livro A Paixão de A e Z, na Livraria da Vila Lorena em São Paulo.
Clique na imagem para visualizar o convite e confira as informações sobre o livro abaixo.


Eles estavam apaixonados, mas só podiam se encontrar nas palavras...


Em A paixão de A e Z – Uma história de amor no alfabeto, Alonso Alvarez narra a história de amor entre as duas letras e a dificuldade de estarem juntas, pois além de "morarem" nos extremos do alfabeto, palavras capazes de uni-las não são ditas todo dia. Com os sinais gráficos transformados em personagens, fica menor a distância entre o pequeno leitor e o abecedário. Para ilustrar a história, a editora convidou Marcelo Cipis, que dá corpo a tão abstratos personagens com humor e leveza.

A PAIXÃO DE A E Z
Uma história de amor no alfabeto
ALONSO ALVAREZ
Infantil

Ilustrações: MARCELO CIPIS
Editora: PEIRÓPOLIS

Editora Peirópolis

ISBN: 9788575961759
Formato: 22 X 24 cm
Páginas: 32 coloridas
Orelha com régua do alfabeto

Capa
preço de capa: R$ 29,00

Para comprar: http://www.ficcoes.com.br/livros/apaixaodeaez.html

segunda-feira, 14 de junho de 2010

CONCURSO NACIONAL DE BATERISTAS


Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional de Bateristas, que faz parte da programação do Batuka! Brasil International Drum Fest, que acontecerá de 16 a 18 de julho, no Auditório Ibirapuera.

Os bateristas interessados têm de fazer download do regulamento e da ficha de inscrição do site do festival: www.batukabrasil.com. As inscrições vão até dia 30 de junho.

No site do festival também já é possível conferir a programação de shows, perfomances e workshows.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Show de Kléber Albuquerque & MOPP no Memorial da América Latina

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Incendiário


Muitos filmes foram lançados abordando atentados terroristas, mas nem todos conseguem justificar a sua própria criação.

Fazer um filme que lida com assunto tão atual e devastador, certamente requer um ponto de vista que o torne peculiar e digno de o espectador parar para assisti-lo com interesse.

Incendiário (Incendiary/2008), apesar do título, lida mais com o universo emocional do que a tragédia em si, que contabilzia centenas de mortes como consequência. O espectador não verá várias cenas sobre a explosão no estádio de futebol, em Londres, Inglaterra. O que ele presenciará é a culpa e a ironia que se abate sobre a jovem mãe, interpretada por uma intensa Michelle Williams, ao perder o marido e o filho.

A culpa é coadjuvante nessa história que mostra que o nosso tempo nem sempre é o mesmo das nossas perdas e das nossas decisões. A jovem esposa, vivendo um relacionamento distante com seu marido, um integrante do esquadrão anti-bombas, conhece o sedutor jornalista Jasper Black (Ewan McGregor), que vive em um prédio luxuoso em frente ao condomínio humilde dela. Depois de um encontro casual com Jasper, na rua, ela decide aproveitar que o seu filho e o seu marido foram ao jogo de futebol e se entrega ao jornalista. Conviver com a culpa de trair seu marido, enquanto ele e seu filho morrem no atentado, faz com que essa jovem mulher transite entre a realidade e a ilusão, em busca de consolo.

Michelle Williams está brilhante neste filme. A forma como a trama é conduzida torna o Incendiário um dos mais belos filmes sobre a perda. A diretora Sharon Maguire, que traz no currículo O Diário de Bridget Jones (Bridget Jone’s Diary/2001) e a direção de uma série de episódios do aclamado The Late Show, também assina o roteiro de Incendiário, que é baseado no livro de Chris Cleave.