quinta-feira, 18 de julho de 2013

TAP de Gregory Hines


Na minha lista de preferidos, há uma série dedicada somente aos filmes que têm a música como tema, às vezes até mesmo como personagem. 

TAP (1989) é um filme escrito e dirigido por Nick Castle, roteirista de outro filme com música do qual gosto muito, O Som do Coração (August Rush/2007). Ele conta a história de Max Washington (Gregory Hines), que acaba de sair da prisão e tem de decidir qual das suas profissões irá assumir: a de ladrão ou a de sapateador.

Antes de me aprofundar na história de Max, devo dizer que me apaixonei por Gregory Hines já na primeira cena do filme. Depois de TAP, esse sapateador talentosíssimo e ator de grandes filmes como The Cotton Club (1984), de Francis Ford Coppola e O Sol da Meia-Noite (1985), de Taylor Hackford, passou a fazer parte da leva de atores das quais assisto tudo o que aparece.  E dos filmes às séries de televisão, ele nunca me desapontou.

Quem conhece Clayton Cameron, sabe que ele foi baterista do grande Sammy Davis, Jr. durante muito tempo. Foi tocando em cassinos com ele que começou a sua jornada pelo universo das brushes, das vassourinhas, e não à toa hoje ele é considerado mestre no assunto. The Brushes Master

Clayton Cameron se apresentando no Batuka! Brasil, em São Paulo (2009).
Em 1993, o IBVF produziu um workshop de Clayton Cameron, aqui em São Paulo. Hoje, com o acesso fácil a material didático e vídeos, certamente muitos já conferiram os feitos desse músico. Só que lá, de volta a 1993, eu ainda não tinha visto algo igual. E não que hoje em dia eu saiba da existência de alguém com tamanha habilidade com as vassourinhas. Além de uma performance impressionante, tocando com vassourinhas, Clayton Cameron reproduziu a cadência do sapateado de grandes dançarinos, entre eles Sammy Davis Jr. e Gregory Hines. Perfeito.

Cena de TAP
Logo na primeira cena de TAP, Gregory Hines mostra a que veio. Max faz uma brilhante performance dançando em um tablado, na sua cela. O filme conta com coreografias inspiradas e com a participação de uma leva de sapateadores que inspiraram a nova geração. Além de Sammy Davis Jr., Arthur Duncan e Howard “Sandman” Sims faziam parte do elenco. Na época, Sammy já estava doente, ainda assim, fez um ótimo trabalho como ator e sapateador. Ele faleceu em 1990.

Sammy Davis, Jr. e Gregory Hines
TAP é uma celebração ao sapateado, aos ícones do sapateado, assim como um flerte com a contemporaneidade do cenário da tap dance. Gregory Hines representava o futuro, e não apenas no filme. São inúmeras as cenas em TAP capazes de emocionar pela beleza da dança, a influência da música.


Gregory Hines era capaz de mexer com a alma do espectador com uma frase rítmica. A beleza de sua postura ao sapatear, a sua elegante presença, a modernidade de sua arte, um conjunto de qualidades estampado em TAP e em seus trabalhos não apenas no cinema ou na televisão, mas também no teatro. Ele faleceu em 2003, aos 57 anos de idade. Uma partida prematura que deixou um hiato no cenário do sapateado. 

CENA DE TAP

0 comentários: