segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O amante secreto

Este é um filme que eu assistirei sempre que precisar de um tanto de poesia na minha realidade. Apesar de dramático, sofrido em tantos aspectos, há uma beleza ímpar nesta obra, certamente amplificada pela direção de Walter Lima Jr.

A ostra e o vento (1998) fala sobre Marcela, ricamente interpretada por Leandra Leal, na sua estreia no cinema, uma adolescente que vive em uma ilha com o seu pai, o faroleiro José (Lima Duarte) e Daniel (Fernando Torres). Entre as várias histórias que se embrenham na trama principal, a mais poética – e profética - é, certamente, a forma como Marcela lida com a descoberta da sua sexualidade, sem que haja uma mulher como referência, e sob a proteção austera de seu pai.

O filme é baseado no livro homônimo de Moacir C. Lopes, e o roteiro é de Walter Lima Jr. e Flávio Tambellini. A ostra e o vento é um mergulho no universo frágil e sagaz de uma personagem que vive, através da imaginação, o que é tolhida de viver na realidade. Marcela convive com a solidão profunda, como se ela fosse a sua companhia reconhecida, com quem ela tagarela feito menina, a quem se confessa feito mulher. E neste cenário, toma por seu amante o vento.

A trilha sonora de A ostra e o vento, tão sedutora quanto o filme, foi composta por Wagner Tiso, exceto a canção-tema, de autoria de Chico Buarque, e a incidental J´attendrai (G. Olivieri / N. Rastelli).


0 comentários: