Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Recomeço e música | Mesmo se nada der certo

Imagem
John Carney foi um dos integrantes da banda The Frames, liderada por Glen Hansard, músico que atuou em The Commitments (Alan Parker/1998), filme que fala sobre um jovem que deseja se tornar um empresário e levar a soul music para Dublin. Porém, foi com Apenas Uma Vez (Once/2006) que Hansard ganhou destaque internacional. Semana passada, eu publiquei um artigo no Babel Cultural | clique aqui para ler | sobre dez filmes nos quais a música tem destaque ou chega a ser um dos personagens da trama. Entre eles, Apenas Uma vez . Alguns dias depois, assisti a outro filme do roteirista e diretor, que incluiria nessa lista tranquilamente. Mas como esse trem já passou, decidi falar sobre ele aqui no Talhe . Ano passado, Carney escreveu e dirigiu Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again), filme que assisti no fim de semana, depois de ter escutado a trilha sonora várias vezes. A trilha sonora foi indicação de uma amiga, que assistiu ao filme e gostou da música. Eu não sabia do lança

Eu estava lá | Os Monólogos da Vagina
15 anos

Imagem
Em sete de abril de 2000, estreava no Teatro Clara Nunes, no Rio de Janeiro, o espetáculo Os Monólogos da Vagina . Estreava depois de anos de tentativa em produzi-lo. Os obstáculos foram muitos, porque empresas não queriam envolver suas marcas em um espetáculo que tivesse a palavra vagina em seu título. Mas a vagina ganhou essa batalha. No dia sete de abril de 2015, Os Monólogos da Vagina completou 15 anos de apresentações no Brasil. Teve festa – e das animadas – no Teatro Gazeta, em São Paulo, com direito à Vânia Bastos interpretando a clássica Cor de Rosa Choque , de Rita Lee e Roberto de Carvalho, antes de começar o espetáculo. E onde Fafy Siqueira, Adriana Lessa e Maximiliana Reis celebraram o feito no palco. Linda e divertidamente. É possível reconhecer o tom de Miguel Falabella na adaptação da obra de Eve Ensler. Ele não foi somente competente ao transpor o texto para o nosso idioma. Há genialidade no feito, daquelas que fazem a cadência ideal para inspirar gargalha