Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Um serial killer em minha vida

Imagem
Publicado originalmente no site Crônica do Dia, em  07/11/12 Dexter é um serial killer . Dexter é um serial killer pelo qual as mocinhas se apaixonam. Os mocinhos, esses queriam ter a visão direta de psicopata do Dexter, mas sem a coisa do serial killer de série de televisão pelo qual as mocinhas suspiram ou o emprego de especialista forense em amostras de sangue do departamento de polícia de Miami. Eles querem apenas aprender a aplicar a objetividade de Dexter, o serial killer com código de honra incutido nele pelo pai adotivo que percebeu, logo cedo, quem o filho era, e o ensinou que já que não havia como evitar o desenrolar da história, melhor que Dexter aprendesse a matar somente assassinos que a polícia não consegue prender. Entendido? Dexter é um serial killer . A primeira vez que tentei assistir à série Dexter , não consegui passar de meia hora do episódio. Fiquei extremamente incomodada com a simpatia imediata que senti pelo personagem interpretado por Micha

Não estou mentindo

Imagem
Publicado originalmente no site Crônica do Dia, em  15/02/12 Todos por aqui sabem que sou apaixonada por séries... Também. Entram no pacote das telinhas e dos telões as minisséries e os filmes. Porém, ser fã de série de televisão é muito mais do que ser noveleiro, como muitos dizem por aí, porque a novela passa de segunda a sábado, e conseguimos ficar bem sem ela aos domingos, e nem sempre são realmente boas, mas somente uma distração após um dia de trabalho. Porém, as séries contam com um episódio por semana e ainda são por temporadas, ou seja, passamos meses esperando o próximo capítulo, quer dizer, episódio.  No ano passado, descobri que algumas séries, que não me atraíam em nada, eram ótimas pedidas. Isso porque em período de middle season (quando não há episódio inédito da série, durante algumas semanas) e festas de final de ano, não há o que assistir que não seja de repeteco. Foi assim que incluí na minha extensa, porém seleta lista de favoritas, as séries The Tudo

Pina: poesia na tela

Imagem
Publicado originalmente no site Crônica do Dia, em  02/05/12 Sim, eu sou fã de carteirinha de Wim Wenders, desde que assisti o belo Asas do Desejo (Der Himmel über Berlin/1987) e descobri que o roteirista e diretor tinha uma visão deveras interessante sobre anjos. Para quem não assistiu a esse filme, saiba que ele não é a versão alemã de Cidade dos Anjos (City of Angels/1998). Na verdade, o americano foi adaptado a partir do alemão, e por mais que eu ache lindo o filme com Nicolas Cage e Meg Ryan, tendo o próprio Wim Wenders como coroteirista, Asas do Desejo é imbatível com a sua poesia e o ritmo que, em determinado momento, é definido pela participação de Nick Cave. Sim, eu sou apaixonada por Wim Wenders, mas ainda assim, não esperava a viagem que fiz ao assistir o seu filme, ainda em cartaz aqui no Brasil. Na verdade, por se tratar de um documentário, eu esperava um filme bem diferente. O que eu não esperava era um poema na tela. Pina (2011) é um filme sob

Sam escolheu suas armas

Imagem
Publicado originalmente no site Crônica do Dia, em  06/06/12 "C'mon get up, get dressed The world is spinning Full of kindly beings The one you love will love you back And no-one's spoiling anything Everything's just right It makes you want to fill your lungs and sing And ooh ...You silly pretty little thing" Bob Geldof, da canção Silly Pretty Thing Acordei pensando sobre esse filme que assisti semana passada. Acordei pensando como se o tivesse sonhado, sabe?  Ele tratava da história de um homem que chegou ao fundo poço, aos cafundós do abismo, ao fim do fim da linha por causa das drogas. Então, um dia ele pensou ter matado um homem e decidiu aderir à religião da esposa, que enquanto o marido estava na cadeia, deixou de ser stripper e foi cuidar da vida e da filha.  O mais interessante é que, em determinado momento dessa aceitação de Deus, ele resolveu construir uma igreja que recebesse a todos os que as outras não aceitavam. Po

Eu quero ser Tim Burton!

Imagem
Publicado originalmente no site Crônica do Dia, em  30/05/12 “Sabe o que é estranho? É que sempre me achei normal quando era criança. Depois de um tempo,você começa a pensar que é maluco, porque todo mundo te chama assim. Aí os anos passam e você se dá conta de que eles estavam certos, você era louco mesmo.” Tim Burton O que você quer ser quando crescer? Pergunta recorrente na vida de qualquer criança, acaba sempre recebendo respostas sazonais. Há dias em que se quer ser herói, em outros, professor, bombeiro, astronauta, ou colecionador de gibis, filho da mãe e do pai e não de um extraterrestre, porque isso dá medo e afasta os amiguinhos. Não há limites para o que se pode ser quando crescer sendo criança. Eu quis ser muitas coisas quando criança. Apesar de a minha memória infante depender das minhas irmãs para funcionar, lembro-me de duas coisas que queria ser quando crescesse: freira e aconselhadora para apaziguar alma. Crescendo, percebi que as pes