segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Lucina no espaço DB Cultura & Bem-Estar

Engana-se aquele que pensa que a mágica da música acontece somente nos grandes estádios. Na verdade, tenho comigo que depois de passada a curtição de ouvir milhares de pessoas cantarem junto com o artista aquela música, que também você adora que só, que também cantou junto com elas, nada mais agradável do que se imaginar em um show dessa querença musical em um lugar no qual a música chegue sem risco de se atrasar, porque perdeu o caminho, e você enxergue o artista no palco, até mesmo o seu sorriso, ao invés de vê-lo em telões ou tentar resgatar suas feições embaçadas pela distância.

Os shows em espaços culturais alternativos, ou teatros para cento e poucas pessoas, são especiais porque permitem a intimidade do olhar com a pessoa que faz aquela música que emociona a gente. E assim tudo fica mais bonito, pode acreditar!

Sábado passado, dia 4, tive o prazer de assistir a um show desses em um espaço muito bacana, criado pela minha amiga Drika Bourquim, que é produtora de eventos e fotógrafa, e agora a pessoa que cuida com todo carinho do espaço DB Cultura e Bem-Estar. E como recheio da programação, a talentosíssima compositora, violonista e cantora Lucina nos presenteou com um show lindo que só, com direito a canções que, meus caros, são de uma lindeza musical e poética capaz de alimentar direitinho a alma da gente.


Como convidados, Lucina contou com os talentosíssimos Ney Marques (guitarra), Adriana Sanchez (acordeom) e Chica Brother (pandeiro).


Lucina também apresentou, no mesmo espaço, no domingo, dia 5, o workshop Gira de Luz – Fundamentos Energéticos e Ritmos Construtores, e se apresentará na próxima quarta-feira junto a Alzira E. no show Canto de Encontro, ou seja, vocês ainda têm a oportunidade de apreciar essa fantástica artista no DB Cultura e Bem-Estar.


Agradeço muito a Drika Bourquim, ao Tato Souza e ao Henrique Bourquim Guimarães por terem me recebido tão bem no DB Cultura e Bem-Estar. Adorei a minha passagem por lá! Também fiquei super feliz em encontrar o querido Élio Camalle, compositor e cantor que admiro muito, por quem tenho imenso carinho.

E quem se interessar em conhecer um pouco mais da música brasileira, fique de olho na agenda deste espaço. Há muita gente boa aportando por lá.

DB Cultura e Bem-Estar
Rua do Paraíso, 790
Paraíso – São Paulo – SP

Fone: 11.3266 2488
E-mail: eventos@dbproducoes.com.br


Fotos © Drika Bourquim


Abaixo, um texto sobre o último CD de Lucina, originalmente publicado no site Crônica do Dia. Algumas músicas deste CD fizeram parte do repertório do show.

LUCINA: + DO QUE PARECE


Tudo pode ser mais ou menos do que parece, mas raramente igual. Pode desparecer só para enganar aos distraídos, e depois encantá-los com desvelo.

“A vida é mais do que parece”, dizem os religiosos, os sábios e dizem as avós, enquanto cozem delícias e engolem dolências.

Nesse mais que jamais dá a cara assim, de graça, que pede uma atenção honesta para se despir diante do nosso entendimento, encontramos um sem número de motivos para brincar de despir aparências. Por detrás dos outdoors nos quais nos estampamos para sobrevivermos à rotina, da lógica necessária para que o pão nosso de cada dia esteja na mesa quando os filhos se levantam para o café da manhã, há esse lugar que não pertence à pressa. É da preguiça do observador, da mansidão do interessado, da necessidade do ser humano.

Quando ouvi, pela primeira vez, o disco “+ do que parece”, da compositora, violonista e cantora Lucina, senti-me chegando a esse lugar privado, mas escancarado quando estamos prontos para encará-lo. Esse lugar no qual as sutilezas imperam, onde o sorriso faz a diferença, onde são torneadas a intensidade e a beleza das benfeitorias da vida.

“+ do que parece” vai além de ser um disco. É um apanhado de sentimentos amparados pelo olhar de quem sabe catar poesia no diariamente, de quem dá voz aos desejos, à catarse, às conquistas, aos silêncios inebriantes. De quem não deixa escapar as importâncias.

Em parceria com Zélia Duncan, amiga e co-autora das nove composições que compõe “+ do que parece”, Lucina talha a essência do desaprender o óbvio e buscar o que há por detrás, o além, o logo ali, naquele lugar do outro e de nós mesmos aonde jamais iríamos não fossemos inspirados a fazê-lo. Sendo assim, esse disco nasce como uma inspiração... Das boas inspirações.

As letras são de uma candidez que nos envolve sem pressa. “Seus olhos de jardim pousaram em mim/Seu olhar de floresta/invadiu minha tonalidade modesta de castanho” (Olhos de Marte). Mas tão bela quanto às letras é a voz do violão de Lucina, ritmada, floreando nuanças, pincelando cenários. E a própria voz da artista entra em cena, desfiando a conquista certa do ouvinte.

“+ do que parece” é um disco muito bem executado, com músicos afinados e composições belíssimas. Vale se permitir conquistar por ele. Lucina é uma artista que vem contribuindo com a música de uma forma muito especial. E que assim continue.


5 comentários:

Drika disse...

Carla, essa noite foi especial porque tinha sua energia de amor e amizade me fazendo seguir em frente, te amo, amiga!

Anônimo disse...

Oi Carla, eu participei do workshop Gira de Luz, e quanta luz girou por lá!! e o gostoso que a gente leva a luz pra dentro da gente e se cuidarmos dela ela não se apaga!!! umbejãodojão

Carla Dias disse...

Drikota... recíproco em todos os sentidos. Te amo também!

João... É verdade, a luz precisa ser cuidada para sobreviver a nós, e nos tornar pessoas mais brandas.

Aline Albuquerque SERSONICA disse...

Adorei a forma como você escreve! Fazia tempo que não lia um press release, um comentário tão saboroso. Tenho 30 anos e descobri a Lucina a pouco tempo, apesar da imensidão de riqueza cultural que ela já disseminou em gerações. Sou musicista e fico feliz demais de ver talentos que ainda buscam viver de forma a presar a arte, o essencial,a clareza da boa música e levar algo sublime em momentos tão únicos de palco! Parabéns Lucina e João! Ass Aline Albuquerque (Sersônica)

Carla Dias disse...

Obrigada, Aline!

A Lucina é muito especial mesmo. Toda vez que escuto alguém dizer que não temos música bacana, penso em pessoas como ela e outros tantos compositores. Acho que temos apenas de perder a preguiça de buscar por aquilo que nos agrada, e dessa forma, valorizá-lo. Quem sabe assim a música que alimenta a alma ganha mais espaço.

Volte ao Talhe sempre que quiser!