domingo, 17 de abril de 2016

A Paixão Segundo Nelson


Acabei de chegar em casa. Acabei de chegar em casa, vinda do teatro. Não é de meu feitio escrever a respeito das minhas aventuras como espectadora de feitos artísticos, assim, no mesmo dia. Gosto de ruminar. Sou ruminadora por natureza. Mas não hoje. Acabei de chegar do teatro e sinto uma vontade imensa de falar sobre o que vi.

Falarei, então. Melhor... Escreverei.

Você pode pensar: ah, mas é só um espetáculo! Uma pena mesmo será se você não puder ver o que vi, pouco antes de chegar em casa, vinda do teatro. Então, dizer a si: “ah, que espetáculo! ”

Assisti ao A Paixão Segundo Nelson [uma farsa musical brasileira], no Teatro Bradesco, aqui em São Paulo. Com adaptação dos textos de Nelson Rodrigues feita por Zeca Baleiro, quem também assina as canções originais. Eu que ando nesse apaixonamento pelo teatro sendo amplificado a cada vez que assisto a um bom espetáculo, ganhei hoje a oportunidade não só de ver personagens de Nelson Rodrigues desfilarem pelo palco, mas tais personagens serem interpretados de uma forma que me fez acreditar completamente neles. Houve esse momento em que me senti espectadora dentro da história. Uma vizinha bisbilhotando a vida alheia e com sucesso.

Não ter intimidade com as obras de Nelson Rodrigues não é impedimento para quem deseja assistir a um espetáculo que é uma lindeza. Há delicadeza na brutalidade das histórias daqueles personagens, e um humor refinado, que inspira não somente a gargalhada, mas a gargalhada acompanhada de uma fisgada de inquietação. Daquelas fisgadas que doem na alma.

A direção de Débora Dubois deu ao espetáculo ritmo e profundidade. A música de Zeca Baleiro não dá tom de musical ao espetáculo, mas o envolve de tal forma que se apresenta como aquele personagem outro, que sem ele todo o resto poderia desmoronar. A liga. O laço. A benção. O abraço.

Mais uma vez, Jarbas Homem de Mello fez um trabalho impecável. Eu disse e repito: ele é capaz de fazer os personagens se deslumbrarem por ele, porque ao se apossar deles, Jarbas faz com que se rendam a sua capacidade de trazê-los, de forma crível e rica, à vida.

Roberto Cordovani faz um belo trabalho incorporando/interpretando Myrna, um dos pseudônimos femininos de Nelson Rodrigues. Fez-me voltar no tempo, de quando o vi pela primeira vez e fiquei fascinada por sua figura. Na época, ele estava em cartaz com o espetáculo “O Retrato de Dorian Gray”. Na época, eu não fazia ideia do que poderia acontecer em um palco, ou quem era Dorian Gray. Eu estava somente começando minha jornada no mundo das artes. Foi emocionante, finalmente, vê-lo nesse palco que aprendi a respeitar.

Os atores em A Paixão Segundo Nelson fizeram um trabalho de uma beleza daquelas de comover. Bom também ver no palco Rui Rezende, Vanessa Gerbelli e Helena Ranaldi. Cada ator que participa do espetáculo construiu parte dessa jornada iniciada por Zeca Baleiro e Débora Dubois. Aliás, somente um apreciador da obra de Nelson Rodrigues poderia ter adaptado seus textos para tal espetáculo com tamanha coerência e fluidez.

Cheguei em casa ontem... Sim, já é ontem. Cheguei feliz que só, por ter assistido a um ótimo espetáculo sobre uma figura importante do repertório artístico brasileiro, que reuniu muita gente boa. Não é preciso conhecer a obra de Nelson Rodrigues para se deleitar com A Paixão Segundo Nelson [uma farsa musical brasileira]. É preciso não perder o último dia do espetáculo em São Paulo.

Aproveite para fascinar-se.

A Paixão Segundo Nelson [uma farsa musical brasileira]
17 de abril | Último dia!
Teatro Bradesco
Rua Palestra Itália, 500 | 3 piso do Bourbon Shopping
Perdizes | São Paulo


INGRESSOS
> Na bilheteria do Teatro Bradesco
> Pela internet: teatrobradesco.com.br


FICHA TÉCNICA
DIREÇÃO E CONCEPÇÃO | Débora Dubois.
ADAPTAÇÃO DE TEXTOS E CANÇÕES ORIGINAIS | Zeca Baleiro.
ELENCO | Giselle Lima, Helena Ranaldi, Jarbas Homem de Mello, Lula Lira, Marcos Lanza, Roberto Cordovani, Rui Rezende e Vanessa Gerbelli.
MÚSICOS | Adriano Magoo e Billy Magno.
PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS (em off) | Cauby Peixoto, Jards Macalé, José Mayer, Juca de Oliveira e Mel Lisboa.
ASSISTENTE DE DIREÇÃO E PARTICIPAÇÃO ESPECIAL | Luis Felipe Correa.
DIREÇÃO DE ATORES | Fernando Neves.
DIREÇÃO DE MOVIMENTO | Fernando Neves e Jarbas Homem de Mello.
ASSISTENTE DE DIREÇÃO DE MOVIMENTO | Cris Rocha e Erica Monteiro.
PREPARADORA VOCAL | Ana Luiza.
DIREÇÃO MUSICAL E TRILHA INCIDENTAL | Adriano Magoo e Zeca Baleiro.
DESENHO DE LUZ E OPERAÇÃO | Wagner Pinto.
DESENHO DE SOM E OPERAÇÃO | Guilherme Ramos.
SONOPLASTIA | Sergio Fouad.
GRAVAÇÃO OFF | Adriana Maciel, Leonardo Nakabayashi, Sergio Fouad e Walter Costa.
CENOGRAFIA | Duda Arruk.
ASSISTENTE DE CENOGRAFIA | Fernando Passetti.
CENOTÉCNICO | Ezequiel Tiburcio Jr..
PRODUÇÃO CENOTÉCNICA | Mara Cesar.
ASSISTENTE CENOTÉCNICO | Alex Farias.
EQUIPE CENOTÉCNICA | Edmir Filgueiras, Carmos Tiburcio e Thiago Taveira.
PRODUÇÃO DE OBJETOS | Márcio Vinicius.
FIGURINOS | Marichilene Artisevskis e Leopoldo Pacheco.
CRIAÇÃO DE MAQUIAGEM E CARACTERIZAÇÃO | Leopoldo Pacheco.
PERUCAS | Emi Sato.
MAQUIAGEM | Claudinho Hidalgo.
COSTURA | Judite Gerônimo de Lima.
ALFAIATE | Miguel Ange Arua.
TURBANTES E MAIÔS | Desolina Martinati.
ADEREÇO DE FIGURINO | Luís Rossi (FCR Produções).
DESIGNER GRÁFICO | Pietro Leal.
FOTOS DIVULGAÇÃO | Gal Oppido.
FOTOS MAKING OFF | Larissa Cardoso.
FOTOS DE CENA | Daniela Albuquerque.
REGISTRO VIDEOGRÁFICO | Jhonny Luz.
DIRETORA TÉCNICA | Vanessa Campanari.
MICROFONISTA | Pollyana Oliveira.
TÉCNICOS DE PALCO | Alexandre Peixoto da Silva e Umberto Alves.
CAMAREIROS | André Rocha, Luciano de Freitas, Sandra Matos e Renata Reis.
PERUCARIA | Kerolaine Amorim.
ASSESSORIA DE IMPRENSA | Casé Assessoria.
FINANCEIRO E LEI | Sonia Odila.
ASSESSORIA JURÍDICA | Dra. Raquel Lemos.
ASSISTENTE DE PRODUÇÃO | Beto Muller.
CAPTAÇÃO DE RECURSOS | Bia Wetzel.
CAPTAÇÃO DE PARCERIAS | Amalia Tarallo.
EQUIPE DE PRODUÇÃO | Fabrício Sindice, Vanessa Campanari e Thiago Marchine.
PRODUÇÃO EXECUTIVA E ADMINISTRAÇÃO | Marisa Medeiros.
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO | Deco Gedeon e Edinho Rodrigues.
REALIZAÇÃO | Brancalyone Produções, Fidellio Produções e Opus.



0 comentários: